Font Size Larger Font Smaller Font

(Extraída do livro DESPERTADOR 1ª parte)

Assim falou INRI CRISTO com o dedo em riste a um fariseu - destes que se dizem crentes e evangélicos - que, na assembléia da Casa de DEUS, em meio aos cristãos, contrariando o que está escrito em Apocalipse c.3 v.19 (“Eu repreendo e castigo os filhos que amo”), interrompendo o sermão numa reunião de sábado, latiu: “Jesus perdoa, Jesus perdoava...”:

“O juiz justo é aquele que faz justiça, castiga, porque o juiz que só perdoa estimula a delinqüência e a conseqüente reincidência. Imagina, fariseu, que um facínora entra em tua casa, seqüestra a tua filha de quatro anos, leva-a a um bosque, estupra-a, a seguir esquarteja-a, joga um pedaço aqui, outro ali.

A polícia, acionada, recolhe os pedacinhos da tua filha, uma mãozinha aqui, um pezinho lá, e reconstitui parcialmente o cadáver, posto que alguns membros não foram encontrados por haverem sido devorados por cães famintos. Tu e tua mulher chorais, a comunidade se revolta; a polícia sai em busca do estuprador, monstro assassino. Depois de incessantes diligências, pressionada pela sociedade, pela mídia, finalmente encontra o malvado delinqüente que, à espreita nas cercanias de um jardim de infância, preparava-se para emboscar a próxima vítima.

A polícia monta um rigoroso inquérito, obtém a confissão dele diante de testemunhas; ele confessa friamente com riqueza de detalhes o delito cometido. Levado ao tribunal, diante do juiz, ao avistar o magistrado prostra-se chorando, ante o olhar estupefato do conselho de sentença e suplica perdão, jurando arrependimento, afirmando jamais voltar a cometer tamanha monstruosidade.

Então nasce a pergunta, meus filhos, que dará sentido a esta parábola:

- Comovido pelos prantos, pelas lágrimas de crocodilo, estimulando a reincidência, ignorando o Titular do Ministério Público, o conselho de sentença e o restante da sociedade representada pelos espectadores, olvidando-se das lágrimas da criança indefesa, do sofrimento dos genitores, que, inconsolados, choram a perda da menina, o juiz justo perdoa o delinqüente confesso ou pronuncia a exemplar sentença que ao mesmo tempo castiga o culpado e serve de advertência para que outros não sigam o mau exemplo, formando assim, através da justa medida, mecanismos de equilíbrio para que haja paz e harmonia na sociedade?

Em verdade, meus filhos, os falsos profetas, os falsos religiosos, falcatruólogos, engodólogos que, mascarados de teólogos, se dizem meus servos e de meu PAI, SENHOR e DEUS, são muito mais perigosos e perniciosos do que o malfeitor estuprador desta parábola, uma vez que eles, ao invés de estuprar e esquartejar criancinhas indefesas, estupram a mente e manietam o sagrado direito das mesmas, impedindo-as de raciocinar, forjando-as, desde a mais tenra idade, como pequeninos robôs para, adolescendo escravas, atingirem a idade adulta como meras marionetes de lucro que, enganadas, alienadas e manipuladas, vegetam à mercê da ambição e dos caprichos e instintos bestiais destes lobos com pele de ovelha que - no afã de manter os incautos encabrestados, gravitando em torno deles, objetivando o enriquecimento ilícito na venda de falsos sacramentos, na prática da chantagem do dízimo do salário do obreiro, contrariando o que eu ensinei antes da crucificação: “Dai de graça o que de graça recebestes” (Mateus c.10 v.8) - inculcam em suas orelhas uma avalanche de inverdades, negando a reencarnação, ignorando que eu disse que João Batista era o Elias renascido (Mateus c.17 v.9 a 13) e que Nicodemos deveria renascer (João c.3 v.3 a 7).

Sobre a minha volta, grunhem que CRISTO virá em glória nas nuvens, além de muitas outras sandices que não é possível enumerar agora, vilipendiando, outrossim, o que está escrito em Lucas c.17 v.25 a 35: "Mas, primeiro é necessário que ele sofra muito e seja rejeitado por esta geração".

Neste momento, meus filhos, eu abdico da condição de juiz, coloco sobre vossos ombros o peso da decisão; sois vós que deveis me responder: o que é a justiça? Como procederá o juiz justo?

De acordo com a vossa resposta - mesmo que não expressa verbalmente, ainda que retida no tribunal de vossa consciência, a qual o ALTÍSSIMO, meu PAI e SENHOR, me deu o dom de sondar e ver - é que eu procederei na hora de julgar a humanidade e principalmente todos aqueles que vibram contra o meu reino de luz.”

 Quem divulgar esta mensagem será agraciado com bênçãos do céu.

anuncio inri tv menor

DOAÇÕES À SOUST

Veja como participar da
missão de INRI CRISTO

Para refletir...

Font Size Larger Font Smaller Font

"Se o trabalho, a incumbência que te foi confiada, não te der dignidade, tu darás dignidade ao teu trabalho."

INRI CRISTO

Newsletter da SOUST

Digite seu e-mail:


RSS Feed Image Inri Cristo via RSS

Depoimentos

As palavras de INRI CRISTO refletem o mais elevado estado de lucidez, coerência, realismo. Que as mensagens de INRI neste site possam tocar os corações e iluminar as consciências. Num mundo conturbado pela violência, incompreensão, preconceitos, antagonismos... é necessário abrir as portas da espiritualidade para desfrutarmos momentos de alegria e paz interior, que nos fortalecem e nos tornam mais humanos.

Adeí Schmidt
Discípula de INRI CRISTO, Brasilia
Sep 16, 2011

Visitantes online

Nós temos 116 visitantes online

Redes sociais:

  • Facebook Page: 139052659514125
  • Flickr: inricristo
  • Twitter: _INRICRISTO
  • Vimeo: 27506247
  • YouTube: INRICRISTOnaWeb

banner app inricristonaweb

SOUST - Uma escola mística e filosófica

A SOUST é uma Escola Mística e Filosófica onde o Mentor Regente INRI CRISTO ensina os seres humanos a viver harmoniosamente em simbiose com DEUS, coerente com o que disse há dois mil anos e suas palavras valem para sempre: "Buscai, pois, o Reino de DEUS e sua justiça, e todas as outras coisas vos serão dadas por acréscimo" (Mateus c.6 v.33).

Leia mais

 

Como participar da missão de INRI CRISTO?